Artistas de Belize que seus ouvidos merecem.

Dançou ao som do Garifuna Collective? Cultura afro-indígena, caribenha, crioula, mestiça. Música dos mais diversos estilos no volume máximo!


Por FELIPE VIVEIROS*


Andy Palacio


Nascido e criado em Barranco, Palacio foi musicalmente ativo desde cedo e se tornou parte de uma comunidade de jovens artistas do país. O músico é a voz principal do gênero punta rock, estilo baseado na mistura de ritmos garifuna com dança caribenha. Artista mais famoso de Belize, com reconhecimento por todo o Caribe e a Europa, fundou o Garifuna Collective já abordado pela Cultura do Resto do Mundo, na íntegra.



Lova Boy


Daniel Cacho, mais conhecido como "Lova Boy", cresceu nas ruas de Dangriga, em Belize. O músico é versátil e suas músicas dialogam com diversos estilos musicais desde reggae e punta rock (música tradicional do povo Garifuna) até hip-hop. Lova Boy é também ativista social e trabalha com jovens em situação de risco em centros de detenção juvenil.



Paul Nabor


Cantor de Punta Gorda, o músico é creditado com a popularização da "paranda", estilo de música tradicional Garifuna. É considerado um dos músicos mais talentosos do gênero e sua canção mais conhecida "Naguya Nei", foi escrita em memória da irmã. Fluente em inglês, espanhol e garifuna, Nabor é um grande nome da indústria da música na América Central.



Pen Cayetano


Nascido na cidade de Dangriga, Pen Cayetano é artista plástico e músico. É autodidata na arte da pintura e do som e afirma que suas influências vêm da cultura nativa Garifuna. Permaneceu na sua cidade natal até 1990, quando se mudou para a Alemanha, onde tornou-se um dos principais embaixadores culturais de Belize. Tem uma banda de família "Os Cayetanos", que segue com as tradições musicais de seus ancestrais.



Wilfred Peters


Rei da música brukdown de Belize, Peters foi pioneiro da cultura do povo crioulo no país centro-americano. Líder da Boom & Chime Band – também conhecida Mista Peetaz Boom and Chime Band – o artista fez turnê pela Europa e América do Norte. Em 1997, recebeu o título de Membro da Ordem do Império Britânico (MBE) da Rainha Elizabeth, concedido por suas contribuições culturais e excepcional serviço para a comunidade.



*Felipe Viveiros, graduado em Relações Internacionais pela PUC-SP, tem extensão universitária em Comunicação Empresarial pela Universidade da Colúmbia Britânica (Canadá) e é mestre em Relações Internacionais e Organização Internacional pela Universidade de Groningen (Holanda).

DO RESTO DO MUNDO

cultura

  • Facebook
  • Instagram
  • Spotify

Copyright © 2020 Cultura do Resto do Mundo.

Todos Direitos Reservados. Arte do Site: Viviane Seeger.

  • Facebook
  • Instagram
  • Spotify