Vida longa ao pop-punk latino

Do México ao Chile, gênero musical continua rebelde das pistas de skate às pistas de dança.


Por FELIPE VIVEIROS*


Allison

País: México


Uma das bandas mais importantes de pop-punk da América Latina, Allison já tem mais de 13 anos de carreira. Conquista palcos, cativa fãs e influencia novas gerações de pop-punkers com três discos de ouro e um de platina. Seus milhões de plays no Spotify e no YouTube revelam sólida base de fãs que lotam shows e mosh-pits. Os mexicanos são verdadeiros embaixadores do pop-punk e levaram o gênero ao Grammy Latino em 2013.



Decentes

País: Porto Rico


Banda nada decente para os ouvidos das gerações mais conservadoras, Decentes reúne artistas-revelação da badalada ilha do caribe. Longe de tocar salsa e merengue, o grupo tem um som pop-punk bem definido, estilo power trio, capaz de levantar do sofá até os mais preguiçosos. A banda já se apresentou em diversos festivais e foi show de abertura dos rockeiros argentinos Los Enanitos Verdes. O single Imposible Nuestra Realidad, lançado em 2020, é pedida certa para os que gostam da fusão entre o indie e o pop-punk.



2contra1

País: Costa Rica


Banda pioneira do pop-punk em espanhol, 2contra1 foi formada em 2002, no auge do sucesso desse gênero no mundo. Liderada pelo cantor sensação Dan Ulloa, o conjunto costa-riquenho tem mostrado rebeldia com alta rotação na MTV latina. Seu álbum homônimo 2contra1 (2010) abraçou o Disco de Ouro no país e todas as faixas de 7 Minutos en el Infierno (2017) são trilha sonora perfeita para um campeonato de beer pong.



MD

País: Panamá


Juntos desde 2006, os panamenhos do MD têm vários álbuns e singles fiéis ao adorado "estilo clássico" pop punk, com outros ritmos de fusão. Tornaram-se populares não só em seu país de origem, como também em vários festivais de música alternativa conquistando simpatizantes da cena em palcos da Colômbia, Espanha, Costa Rica e México.



Blast55

País: Colômbia


Veteranos da cena alternativa desde 1999, Blast55 transmite sonoridade que poderia ser trilha cinematográfica de um American Pie colombiano. Sua canção Diferentes conquistou o topo das paradas da rádio do país, e o álbum A Todos Nos Pasa (2008) recebeu o prêmio Shock como "Melhor Produção Alternativa" do ano. O conjunto de pop-punkers já tocou com grandes bandas internacionais dos entusiastas do estilo como Rufio, dos EUA, e Allison, do México.



Deny

País: Argentina


Cativando o underground do nosso continente desde 2008, Deny é ideal para quem gosta de um pop-punk com adereços do emo e do hardcore melódico. O grupo já fez turnês por toda a América Latina e foi destaque no Lollapalooza da Argentina, em 2017. Sua canção Un Año Más tem milhões de plays no Spotify e colocou o gênero de volta no topo em tempos de muito reggaeton e trap latino.



CORVJE

País: Chile


Príncipes do novo pop-punk latino, CORVJE estreou em 2015 com Alzar el Vuelo (2016), o que realmente fez os chilenos decolarem para os palcos em que a banda se apresenta. O conjunto já tocou com bandas queridinhas do gênero como The Wonder Years (EUA), Real Friends (EUA), Chunk! No, Captain Chunk! (França). As faixas melódicas de energia punk levaram os membros do grupo para turnês no Peru e México e, hoje, os chilenos estão nos fones de ouvido de diversos skatistas e amantes da cena alternativa.


*Felipe Viveiros, graduado em Relações Internacionais pela PUC-SP, tem extensão universitária em Comunicação Empresarial pela Universidade da Colúmbia Britânica (Canadá) e é mestre em Relações Internacionais e Organização Internacional pela Universidade de Groningen (Holanda).

DO RESTO DO MUNDO

cultura

  • Facebook
  • Instagram
  • Spotify

Copyright © 2020 Cultura do Resto do Mundo.

Todos Direitos Reservados. Arte do Site: Viviane Seeger.

  • Facebook
  • Instagram
  • Spotify