Segunda Mostra Internacional de Cinema Virtual. O que assistir?

Teatro, aventura, drama, biografia e ação. Descubra o mundo sem sair de casa.


Por FELIPE VIVEIROS*


Ver filmes é uma das melhores maneiras de viajar sem sair de casa. São cenários diferentes, idiomas diversos, locações variadas. Seja documentando memórias, questionando a sociedade, divertindo com aventuras ou ensinando cidadania, o papel de diplomacia cultural do cinema é significativa e leva nações inteiras às mais remotas salas e quartos de residências por todos os cantos do mundo.


Com 45 filmes de 25 países, a 2ª Mostra Internacional de Cinema Virtual é uma iniciativa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa e da Secretaria de Relações Internacionais do Governo do Estado de São Paulo, com o apoio de Embaixadas, Consulados e Institutos Culturais. O evento acontece até dia 31 de dezembro e os títulos estão disponíveis, gratuitamente, na plataforma online #culturaemcasa.


Não sabe o que escolher? Quais filmes assistir nesta segunda edição?


Confira as recomendações da Cultura do Resto do Mundo para aproveitar, ao máximo, boas opções do cinema internacional contemporâneo.


Drishyam (2015)

Continente: Ásia e Oriente Médio

País: Índia

Quando: 10 de dezembro às 19h.


Thriller no melhor estilo indiano, Drishyam é um remake da versão original em língua malaiala (do sul da Índia). Na trama, o filho de um policial de alto escalão desaparece após chantagear a filha de um humilde “pai de família”, que se torna suspeito de assassinato. O roteiro é ação pura, ao mesmo tempo que aborda os valores éticos das instituições do país e a moralidade da corrupção. Dirigido pelo ator e cineasta Nishikant Kamat, o filme foi sucesso de bilheteria na Índia.


A Garota Ocidental (2016)

Continente: Europa

País: Bélgica

Quando: 10 de dezembro às 21h.


Baseado em um caso real, A Garota Ocidental expõe o conflito social de uma paquistanesa nascida na Bélgica. A jovem, de apenas 18 anos de idade, está grávida do namorado. De acordo com os costumes paquistaneses, o futuro marido deve ser escolhido pela família – que abomina a situação. A gravidez não só é um empecilho para o casamento arranjado, como também uma vergonha para a honra. A produção, dirigida por Stephan Streker, registra, de maneira delicada, o embate entre as tradições sul-asiáticas e os valores europeus.


The Sun At Midnight (2016)

Continente: América do Norte

País: Canadá

Quando: 11 de dezembro às 21h.


Ambientado e filmado no Círculo Polar Ártico, The Sun at Midnight conta a história de uma inesperada amizade entre um caçador obcecado por um rebanho de caribu – renas das florestas boreais – e uma adolescente rebelde que se perde ao fugir de casa. Produzido e dirigido por Kirsten Carthew, o filme explora a deslumbrante paisagem do norte do Canadá ao mostrar uma jornada de amadurecimento pessoal através dos gêneros drama, ação e aventura.


Mangoré, por amor al arte (2016)

Continente: América do Sul

País: Paraguai

Quando: 14 de dezembro às 21h.


Uma viagem à alma de um personagem boêmio e aventureiro, Mangoré, por amor al arte, apresenta o relato de vida do histórico violonista de origem guarani: Agustín Barrios Mangoré. Dirigido por Luis Vera, o longa leva em consideração os mais diversos aspectos poéticos do artista, cobrindo desde sua infância até seus últimos dias. Uma boa oportunidade para viajar, dentro de casa, pela música e paisagem dos territórios da América Latina e do Caribe nas primeiras décadas do século 20.


That Night of Trance (2021)

Continente: África

País: África do Sul

Quando: 17 de dezembro às 19h.


Dirigido pela premiada dramaturga e diretora Ntshieng Mokgoro, That Night of Trance explora como as mulheres negras enfrentam os desafios de uma crise de identidade. A história gira em torno de uma jovem superdotada espiritualmente, cuja vida toma rumo inesperado quando ela descobre seu “chamado ancestral”. A moça se encontra presa entre a vida urbana e as tradições do seu povo. A produção tem grande influência do teatro independente sul-africano.

*Felipe Viveiros, graduado em Relações Internacionais pela PUC-SP, tem extensão universitária em Comunicação Empresarial pela Universidade da Colúmbia Britânica (Canadá) e é mestre em Relações Internacionais e Organização Internacional pela Universidade de Groningen (Holanda).

  • Facebook
  • Instagram
  • Spotify