Qualidade paraguaia

Tão bons quanto Guaraní. Excelentes filmes do Paraguai para conhecer nossos vizinhos para muito além da Ponte da Amizade.


Por FELIPE VIVEIROS*


Hamaca Paraguaya (2006)


Drama cult escrito e dirigido pela aclamada cineasta Paz Encina, Hamaca Paraguaya é um verdadeira história latino-americana, um possível conto não escrito por Gabriel García Marquez. A produção, premiada no Festival de Cannes e filmada inteiramente em guarani, tem como pano de fundo as últimas horas da Guerra do Chaco, travada entre a Bolívia e o Paraguai. O longa é ideal para os amantes de técnicas de cinema, com alguns planos fixos e diálogos "em off", que transmitem a longa espera de um velho casal de camponeses pelo filho que partiu para a frente de guerra.



7 Cajas (2012)


Maior bilheteria da história do Paraguai, 7 Cajas é um thriller de alta qualidade dos diretores Juan Carlos Maneglia e Tana Schémbori. Ao estilo Pulp Fiction, a produção é de tirar o fôlego. A história gira em torno de Victor, um jovem de 17 anos que aceita entregar sete caixas com conteúdo desconhecido em troca de dinheiro. O filme mostra a realidade social dos que vivem na fronteira da pobreza e revela que não há "trabalho fácil". As caixas são muito cobiçadas e o pequeno Victor se vê envolvido e perseguido em um crime do qual nada sabe. A produção ganhou diversos prêmios nacionais e no Exterior e superou até mesmo a bilheteria de Titanic no país sul-americano.



Luna de Cigarras (2014)


Estreia do cineasta paraguaio Jorge Diaz de Bedoya, o longa é um "conto selvagem" sobre um jovem americano que desembarca em Assunção para intermediar um acordo com um mafioso local. A situação foge de controle e leva o jovem ao submundo dos cartéis ilegais emergentes no país. A trama retrata os desafios do Paraguai contemporâneo e as relações entre o agronegócio, o contrabando e o tráfico de drogas. O filme tornou-se a segunda maior bilheteria do país e é ação inteligente que leva o espectador pelos labirintos noturnos, políticos e sociais da capital paraguaia.



Las Herederas (2018)


Vencedor de dois prêmios Urso de Prata em Berlim, Las Herederas foi o filme escolhido para representar o Paraguai no Oscar de 2019. Protagonizada por mulheres da alta sociedade de Assunção de situação financeira abalada, a trama embarca em uma revolução pessoal quando uma delas, para pagar as contas, começa a trabalhar com um serviço de táxi. Dirigida pelo cineasta Marcelo Matinessi, a produção é uma história de libertação sexual em uma sociedade ainda conservadora.


*Felipe Viveiros, graduado em Relações Internacionais pela PUC-SP, tem extensão universitária em Comunicação Empresarial pela Universidade da Colúmbia Britânica (Canadá) e é mestre em Relações Internacionais e Organização Internacional pela Universidade de Groningen (Holanda).

DO RESTO DO MUNDO

cultura

  • Facebook
  • Instagram
  • Spotify

Copyright © 2020 Cultura do Resto do Mundo.

Todos Direitos Reservados. Arte do Site: Viviane Seeger.

  • Facebook
  • Instagram
  • Spotify