Oktoberfest: O’ zapft is!

Cultura do Resto do Mundo traz uma seleção de filmes e séries para o gostinho da Bavária chegar até você. A festa começa!


Por FELIPE VIVEIROS*


Todos os anos, a Oktoberfest atrai cerca de seis milhões de visitantes. Mesmo conhecido pela sua tradição, poucos sabem como o maior e mais popular festival folclórico do mundo começou.


Realizada em Munique, Alemanha, a Oktoberfest se estende desde setembro por um período de duas semanas e termina no primeiro domingo de outubro. O evento teve origem em 12 de outubro de 1810, em celebração do casamento do príncipe Luís, herdeiro da Bavária – que mais tarde se tornou rei – com a Princesa Teresa de Saxe-Hildburghausen.


Um membro da Guarda Nacional da Bavária teve a ideia de celebrar o casamento real “fora da caixinha”. O príncipe e a princesa seriam homenageados com uma épica corrida de cavalos. A ideia do major impressionou o rei Maximiliano I José da Bavária, que logo “abraçou a causa” e mesmo que à época não houvesse nenhuma barraca de cerveja, o evento é entendido como o marco de nascimento da Oktoberfest. Por quê? Um ano após as celebrações do casamento real, todos os bávaros estavam de acordo: queriam mais festa!


No ano seguinte, a corrida de cavalos foi combinada com uma feira agrícola. Não parou por aí. Em 1818, estandes com comida e bebida foram incluídos. No final do século 20, os estandes se transformaram em grandes salões de cerveja, com varandas interiores e bancadas. Cada um dos cervejeiros de Munique montava uma das estruturas temporárias, com capacidade para 6.000 espectadores.


Na tradição que perdura até hoje, o prefeito de Munique é quem abre o primeiro barril e dá o pontapé, ou melhor, o gole inicial das festividades. Surpreendam-se: o consumo total de cerveja durante o Oktoberfest é de mais de sete milhões de litros. As cervejarias se apresentam em desfiles com carroças de bebida, carros alegóricos e pessoas em trajes típicos da Bavária.


Por motivos claros de controle à pandemia da COVID-19, a Oktoberfest foi cancelada. Os organizadores já declararam que o evento, que aconteceria de 18 de setembro a 2 de outubro de 2021, não será realizado.


Não esquenta! E nem deixe a cerveja esquentar. Cultura do Resto do Mundo separou uma seleção de filmes e séries para fazer o gostinho da Bavária chegar até você mesmo na pandemia.


Apague as luzes, pegue a cerveja e curta a magia de Munique:


Oktoberfest: Beer and Blood (2020 – )


Série de televisão produzida pela grande organização alemã de emissoras públicas, Oktoberfest: Beer and Blood estreou na Netflix em outubro de 2020. Dirigida por Hannu Salonen, seus episódios revelam a história de um rico recém-chegado a Munique determinado a conquistar a Oktoberfest com sua própria cervejaria. Quando sua filha se apaixona pelo herdeiro de uma cervejaria rival, uma cadeia de corrupção e violência que ameaça o futuro das famílias que organizam o evento.



Ludwig II (2012)


É difícil pensar em um bávaro mais famoso do que Luís II, o "rei dos contos de fadas". Os diretores Peter Sehr und Marie Noëlle dão vida à história do amante de música e poesia, amigo pessoal do compositor Wagner. O filme inclui locações deslumbrantes dos pontos mais mágicos que a Bavária tem a oferecer.



Oktoberfest (2005)


Do diretor Johannes Brunner, Oktoberfest é a mescla improvável de pessoas de diferentes nacionalidades entre tendas, mesas e bancadas do evento. No último dia de festa uma garçonete bávara, italianos em despedida de solteiro, uma família de Munique, um casal japonês em lua-de-mel e dois amigos de Hamburgo enfrentam uma montanha russa cervejeira de muitas emoções e intrigas.



Bierkampf (1977)


Nenhum diretor alemão está tão ligado à cidade de Munique quanto o cineasta anarquista/surrealista Herbert Achternbusch. Bierkampf foi filmada no famoso festival cervejeiro em 1977, e conta a história absurda de um bêbado que, em um uniforme de policial roubado, acredita que é um verdadeiro detetive na Oktoberfest.


foto: DW


In München steht ein Hofbräuhaus (1951)


Comédia clássica – em preto e branco – do cineasta austríaco Siegfried Breuer, In München steht ein Hofbräuhaus tem como parte de sua trilha sonora a conhecida Hofbräuhaus, uma das mais populares canções alemãs da era contemporânea. O filme retrata uma divertida disputa entre uma família de Munique e uma família de Berlim na Oktoberfest.


foto: filmportal.de


*Felipe Viveiros, graduado em Relações Internacionais pela PUC-SP, tem extensão universitária em Comunicação Empresarial pela Universidade da Colúmbia Britânica (Canadá) e é mestre em Relações Internacionais e Organização Internacional pela Universidade de Groningen (Holanda).

  • Facebook
  • Instagram
  • Spotify