O amor está no ar

Cultura do Resto do Mundo traz recomendações dos 5 continentes sobre filmes de romance, paixão e amor.


Por FELIPE VIVEIROS*


Décor (2014)

Continente: África

País: Egito


Dirigido por Ahmad Abdalla, Décor é um filme de amor em preto e branco. De volta à era dourada do cinema egípcio, o longa tem como ponto de partida a vida de Maha. A jovem produtora é contratada para trabalhar em um filme B – que começa a afetar seu psicológico. As realidades da protagonista se fundem em uma trama comovente e de vanguarda.



Janji Joni (2005)

Continente: Ásia

País: Indonésia


Filme de comédia romântica escrito e dirigido por Joko Anwar, Janji Joni é um sucesso aclamado pela crítica. A trama gira em torno do desafio de um entregador de filmes na capital Jacarta, que para saber o nome de uma garota precisa entregar as latas com os rolos dentro dos prazos. O protagonista enfrenta o trânsito infernal da cidade, além de passar por diversas pessoas que podem atrapalhar sua tarefa.



Love Sick (2006)

Continente: Europa

País: Romênia


Do cineasta Tudor Giurgiu, Love Sick é uma abordagem fora do comum sobre o clássico triângulo amoroso. A produção capta o fascínio das jovens paixões, toca em tabus como incesto e explora a rejeição feminina à tradição. Uma adaptação do romance da escritora Cecilia Stefanescu, o filme é uma crítica social a um país em mudança.



Nuummioq (2009)

Continente: América

País: Groenlândia (Dinamarca)


Primeiro longa produzido inteiramente na Groenlândia, Nuummioq tem como ponto central um trabalhador da construção civil da capital Nuuk. O jovem descobre o amor de sua vida quando é diagnosticado com uma doença incurável e precisa escolher entre ficar na Groenlândia, com a mulher que ama, ou partir para a Dinamarca em busca de tratamento médico.



The Breaker Upperers (2018)

Continente: Oceania

País: Nova Zelândia


Comédia romântica da Nova Zelândia, escrita e dirigida por Madeleine Sami e Jackie van Beek, The Breaker Upperers é o retrato de duas mulheres céticas sobre o amor. A dupla dirige uma agência, na cidade de Auckland, especializada em ajudar pessoas que precisam terminar relacionamentos. O longa recebeu críticas positivas da mídia internacional, e foi sucesso de bilheteria no país oceânico.


*Felipe Viveiros, graduado em Relações Internacionais pela PUC-SP, tem extensão universitária em Comunicação Empresarial pela Universidade da Colúmbia Britânica (Canadá) e é mestre em Relações Internacionais e Organização Internacional pela Universidade de Groningen (Holanda).

  • Facebook
  • Instagram
  • Spotify