La Tomatina

Com o melhor da música valenciana, venha conosco para a Espanha. Viva o caos nesse delicioso molho de anarquia.


Por FELIPE VIVEIROS*


A última quarta-feira de agosto marca o festival mais divertido da Espanha. Realizado em Buñol, na província de Valência, La Tomatina atrai mais de 20.000 participantes todos os anos.


A festividade acontece na praça principal da cidade e na Calle del Cid. Às 9h da manhã, um poste untado de óleo é içado no ar com um belo presunto preso à ponta, em uma gincana em que os participantes devem disputar o “prêmio”. Às 11h, independentemente de alguém ter agarrado o presunto – o que é raro –, um canhão dispara um tiro de festim criando o clima para que mais de 120 toneladas de tomates sejam derrubadas dos caminhões para a multidão. As horas seguintes são marcadas por uma batalha frenética, até que um segundo tiro sinalize o fim do jogo.


O festival começou em 1945, mas, até hoje, não se sabe o por quê. A lenda popular alega que certa feita vereadores antagônicos se atacaram com tomates durante uma celebração da cidade. Há teorias de que o evento pode ter sido um protesto anti-Franco ou, até mesmo, uma “luta gastronômica” entre amigos. Não importa. Os habitantes de Buñol gostaram tanto da ideia que que o evento se repetiu todos os anos, tornando-se uma celebração oficial em 1952.


A edição de 2021, por razões óbvias, foi cancelada devido à pandemia de Covid-19. O festival está previsto para retornar em agosto de 2022.


Par uma experiência completa de La Tomatina, o Cultura do Resto do Mundo separou seus artistas favoritos de Valência que cantam em valenciano e traduzem o espírito da festa em música.


Venha conosco para a Espanha, junte-se ao caos nesse delicioso molho de anarquia!


La Gossa Sorda


Formada em Pego, na Comunidade Valenciana, La Gossa Sorda é uma mistura de rock, punk, reggae e ska e ritmos mediterrâneos. Suas letras, em valenciano, são uma dura crítica social contra a inércia política da região e defendem a independência dos chamados “países catalães”.



Obrint Pas


Direto da capital da Comunidade Valenciana, Obrint Pas faz a música tradicional valenciana soar como rock, reggae e hardcore. Suas canções abordam temas diversos como denúncia social, solidariedade e defesa da identidade cultural e linguística catalã. O álbum En Moviment alcançou o TOP 20 dos mais vendidos na Espanha, feito inédito para um grupo que canta em catalão.



La Habitación Roja


Da cidade valenciana de La Eliana, La Habitación Roja se tornou uma das mais importantes bandas independentes de pop rock do país. Com mais de 10 álbuns de estúdio e apresentações nos festivais Internacional Benicàssim e BAM, em Barcelona, o grupo é pedida certa para entrar no clima da Tomatina.



Orxata Sound System


Nascida na cidade de Valência, Orxata Sound System é formada por quatro vozes – três femininas e uma masculina – trombeta, baixo e programador. Sua música é pelo uso de da eletrônica junto a sons mediterrâneos e canção tradicional valenciana. O grupo é ativista do “copyleft” e, em seu site, é possível modificar a letra de suas canções.



ZOO


Ícones do hip-hop, ZOO formou-se na cidade de Gandia com letras em valenciano e canções de cunho político. O grupo é conhecido por incorporar diferentes gêneros em sua música como breakbeat, reggaeton, rock, ska e ritmos eletrônicos. Embora sejam novos no cenário musical, já tiveram um sucesso considerável e foram headliners do festival Feslloch, o mais importante de música valenciana.


*Felipe Viveiros, graduado em Relações Internacionais pela PUC-SP, tem extensão universitária em Comunicação Empresarial pela Universidade da Colúmbia Britânica (Canadá) e é mestre em Relações Internacionais e Organização Internacional pela Universidade de Groningen (Holanda).

  • Facebook
  • Instagram
  • Spotify