DIA DAS CRIANÇAS

Da Colômbia às Filipinas. Da Espanha à Nigéria. Animações para despertar a criança que existe em você.


Por FELIPE VIVEIROS*


Lady Buckit and the Motley Mopsters (2020)

País: Nigéria


Primeiro longa-metragem de animação da história da Nigéria, Lady Buckit and the Motley Mopsters impressionou a África, e vem ganhando elogios internacionais de cinéfilos e críticos especializados. O filme, dirigido por Adebisi Adetayo, traz uma jovem que adora ajudar o pai a resolver desafios de lógica e aritmética. A produção apresenta personagens negros em diferentes tonalidades de pele e diálogos que incorporam, com orgulho, as línguas nigerianas ijó e iorubá – além do inglês. A animação é a prova de que um bom filme africano não precisa imitar Hollywood para ser “fenomenal”.



El Libro de Lila (2017)

País: Colômbia


O primeiro filme de animação da região do Cauca, Colômbia, El Libro de Lila combina técnicas 2D e 3D para contar uma história ambientada nas paisagens naturais do país sul-americano. O longa-metragem é a estreia da diretora Marcela Rincón, e traz a jornada de uma personagem de um livro que escapa do “mundo de papel” para o “mundo real”. A jovem só poderá voltar ao seu mundo, caso a magia e a inocência da infância despertem nela e nos novos amigos. O filme participou de eventos importantes como o Festival Internacional de Cinema de Busan (Coreia do Sul) e o Festival Internacional de Cinema de Miami (EUA).



Psiconautas, los niños olvidados (2015)

País: Espanha


Escrito e dirigido por Alberto Vázquez e Pedro Rivero, Psiconautas, los niños olvidados é um filme de animação dramática e de suspense baseado na novela gráfica de Vázquez. A produção segue a jornada de um pária tímido de uma sociedade pós-apocalíptica e seu amigo rato – de 14 anos de idade – que foge de sua casa alvo de um desastre. O filme ganhou o prêmio Goya na categoria de Melhor Longa-metragem de Animação, não só pela qualidade de sua narrativa como, também, pela animação desenhada à mão, na prancheta – considerada pelos críticos como “uma sinfonia experimental para os olhos.”



Er Tostik and Aydahar (2013)

País: Cazaquistão


Primeiro longa-metragem de animação da história do Cazaquistão, Er Tostik e Aydahar segue a história de um valente cavaleiro que luta, de maneira corajosa, contra os males do submundo. Problemas surgem quando as forças malignas formam o temível Dragão de Aydahar. O filme tem a estética de um conto de fadas infantil, é uma chance rara de conhecer as histórias e os contos tradicionais do povo cazaque da Ásia Central. A produção é o primeiro projeto de animação dos estúdios Kazakhfilm e foi aplaudida em território nacional tornando-se um grande sucesso de bilheteria.



The Wanderer In The Land Of Elementalia (2008)

País: Filipinas


Primeiro longa-metragem de animação da história das Filipinas, The Wanderer In The Land Of Elementalia, retrata a vida de uma criança cujos avós foram levados para a terra mítica de Elementalia. Com a ajuda de um amigo sobrenatural, o jovem passa pelas mais diversas aventuras para salvá-los. O filme é um marco no cinema do país, introduzindo ao mundo a língua tagalog, elementos da cultura pop e do folclore filipinos. A trilha sonora é um show e recebeu diversos prêmios nacionais, como Best Sound, Best Musical Score e Best Theme Song no Festival de Cinema de Manila.


*Felipe Viveiros, graduado em Relações Internacionais pela PUC-SP, tem extensão universitária em Comunicação Empresarial pela Universidade da Colúmbia Britânica (Canadá) e é mestre em Relações Internacionais e Organização Internacional pela Universidade de Groningen (Holanda).

  • Facebook
  • Instagram
  • Spotify