Semana Internacional de Música (SIM SÃO PAULO 2020)

Do Uruguai à Noruega, 10 artistas desta edição para conectar você ao resto do mundo.


Por FELIPE VIVEIROS*


Um dos principais eventos da agenda musical da metrópole, a Semana Internacional de Música de São Paulo (SIM São Paulo) acontece entre os dias 03 de novembro e 06 de dezembro, em oitava edição. Neste ano, o evento acontece em formato online e conta com 70 painéis, palestras, debates e 300 showcases de artistas brasileiros e internacionais.


A agenda SIM 2020 é baseada no tema "Música Viva!" e tem, como pilares, inovação, informação, conexão e motivação, assuntos que dialogam com o que abordamos diariamente aqui na Cultura do Resto do Mundo. A programação artística é gratuita e pode ser acessada via www.simsaopaulo.com.


Como música internacional é a nossa praia, separamos 10 inovadores artistas que, nesta edição do evento que já se tornou um sucesso, irão conectar você ao resto do mundo.


Aumente o som, diga SIM... E solte o play na Semana Internacional de Música!


El Remolón

País: Argentina

Estilo: cumbia digital e electro reggaeton.


Alterego do produtor argentino Andrés Schteingart, El Remolón mescla ritmos latino-americanos, como a cumbia e o reggaeton, em elaborada base criativa de música eletrônica. Pioneiro no movimento da cumbia eletrônica e com um som descontraído, a proposta do artista navega entre as ondas do techno minimalista e dos ritmos originais.



Travis James

País: Canadá

Estilo: indie, folk, acústico.


Direto de Vancouver, na Colúmbia Britânica, o cantor e compositor canadense Travis James revela sua jornada de vida em música. Suas maiores inspirações passam por clássicos como Bob Dylan e Bruce Springsteen até referências mais contemporâneas, como John Mayer e Mike Posner. Com letras reflexivas e melodias sensíveis, James conecta o ouvinte com um som calmo e sincero.



Frank's White Canvas

País: Chile

Estilo: rock melódico e pop rock.


Dupla feminina nascida em Santiago do Chile, Frank's White Canvas surgiu em 2014 com uma proposta de pop rock cru, honesto e direto em sintonia com uma produção de alta qualidade. Influenciadas por diversos artistas do rock, a banda tem como principais referências Placebo, My Chemical Romance e Twenty One Pilots e já se apresentou em grandes festivais internacionais, como o Mad Cool na Espanha e o Lollapalooza no Chile.



La Dame Blanche

País: Cuba

Estilo: hip-hop, cumbia e dancehall.


Projeto da cantora cubana Yaite Ramos, filha do trombonista do grupo musical Buena Vista Social Club, La Dame Blanche é realmente versátil. Entre ritmos tipicamente latinos e urbanos, a artista usa elementos que se estendem desde a música clássica até o trap em uma produção cultural única. A estrela cubana vive, atualmente, em Paris e tem passagens por grandes festivais internacionais como SXSW nos EUA e Sziget, na Hungria.



Ricardo Pita

País: Equador

Estilo: swing tropical, polka e rock alternativo.


Cantor e compositor de Guayaquil, Ricardo Pita tem proposta inovadora e atrai a atenção de diversos países latino-americanos e europeus. Considerado um verdadeiro "camaleão musical", seu estilo transita por diferentes sonoridades em um mesmo álbum mantendo uma base mística de folclore latino-americano. Com influência dos mexicanos Café Tacvba e do brasileiro Caetano Veloso, Pita é reconhecido sucesso na cena independente do Equador.



ANAN

País: México

Estilo: ArtPop, eletrônica e experimental.


Projeto mexicano que viaja entre diferentes gêneros, ANAN tem um estilo que incorpora beats eletrônicos, loops de vozes, sintetizadores e instrumentos acústicos. A banda não é nada convencional e experimenta na voz de Natalia e na produção e instrumentação de Rafael Durand.



Juno

País: Noruega

Estilo: jazz, hip-hop e fusion.


Composta por duas vocalistas, uma saxofonista, uma baixista e um baterista, Juno apresenta um modelo sonoro intenso entre solos melódicos, rap, ritmos dançantes e jazz experimental. A banda foi formada na Academia de Jazz de Trondheim, Noruega, e tem se apresentado em diversos países da Europa com uma performance "ao vivo" emocionante e energética.



Juanjo Corbalán Cuarteto

País: Paraguai

Estilo: música popular paraguaia, jazz e ritmos latinos.


Harpista e compositor paraguaio, Juanjo Corbalán circula pelas sonoridades do jazz e dos estilos tradicionais de seu país de origem. No formato de quarteto, com piano, bateria, saxofone e arpa paraguaia, o grupo é pioneiro em um nicho musical ainda pouco explorado. Corbalán já recebeu prêmios nacionais importantes e realizou turnês pela América do Sul e Europa.



Aníbal Zola

País: Portugal

Estilo: música sul-americana, tradicional portuguesa e fado.


Contrabaixista do Porto, em Portugal, Aníbal Zola é cantor, compositor e apresenta um projeto que tem como base o contrabaixo e a voz. Suas composições trabalham com a fusão de elementos tradicionais portugueses, fado e ritmos das Américas. O músico tem versões de bossa nova e letras que discutem o amor, a morte e o tempo em performances que dão espaço à improvisação.



Milongas Extremas

País: Uruguai

Estilo: pop rock, rock uruguaio, folk rock.


Quarteto de violões e vozes, Milongas Extremas tem caráter musical diferenciado ao expor no palco o lado extremo de suas milongas. A banda foi criada em 2008 e, embora tenha o rock como base, também conta com grande influência do folclore rioplatense. Já se apresentou em palcos, teatros, salões, pubs e praças na Argentina, no Brasil e na Espanha.


*Felipe Viveiros, graduado em Relações Internacionais pela PUC-SP, tem extensão universitária em Comunicação Empresarial pela Universidade da Colúmbia Britânica (Canadá) e é mestre em Relações Internacionais e Organização Internacional pela Universidade de Groningen (Holanda).

DO RESTO DO MUNDO

cultura

  • Facebook
  • Instagram
  • Spotify

Copyright © 2020 Cultura do Resto do Mundo.

Todos Direitos Reservados. Arte do Site: Viviane Seeger.

  • Facebook
  • Instagram
  • Spotify