O cinema LGBT nas Américas.

Mulheres, homens, pessoas fantásticas. Gigante continente em mudança, a cena LGBT em suas mais variadas versões.


Por FELIPE VIVEIROS*


América Central e Caribe: Morango e Chocolate (1994) Cuba


"Morango e Chocolate" revela a história de dois homens "opostos": um gay; o outro hétero; um comunista feroz; o outro individualista convicto; e como eles passam a se amar. Dirigido por Tomás Gutiérrez Alea e Juan Carlos Tabío, o filme continua sendo o único longa cubano da história a ser indicado para um Oscar.



América do Norte: My Prairie Home (2013) Canadá


Escrito e dirigido pela cineasta canadense Chelsea McMullan, “My Prairie Home” é um documentário sobre a cantora e compositora transgênero Rae Spoon. A produção apresenta performances musicais e entrevistas sobre a infância problemática de Spoon, criada por uma família pentecostal e um pai repressivo.



América do Sul: Contracorriente (2009) Peru


Em incomum história de fantasmas ambientada em Cabo Blanco, no litoral peruano, “Contracorriente” retrata a luta de um pescador casado para conciliar a devoção ao seu amante homem dentro das rígidas tradições da cidade. Dirigido por Javier Fuentes-Léon, o filme ganhou o World Cinema Audience Award do Festival de Sundance, nos EUA, e foi indicado como o melhor filme latino-americano no Goya Awards de 2011, na Espanha.



América do Sul: Desde allá (2015) Venezuela


Escrito e dirigido por Lorenzo Vigas, o filme relata a história de um homem rico de meia-idade que paga jovens apenas pela sua companhia. Sua vida sofre uma reviravolta ao conhecer um rapaz de 17 anos, líder de uma gangue em Caracas. A produção ganhou o Leão de Ouro do Festival Internacional de Veneza.



América do Norte: Y Tu Mamá También (México)


Em mistura de drama, comédia e liberação sexual, “Y Tu Mamá También” revela a vida de dois adolescentes e uma mulher mais velha em uma viagem de carro. Dirigido por Alfonso Cuarón, o longa ambientado em 1999 tem como pano de fundo não só a revolução sexual dos jovens no México, como também a realidade política e econômica do país norte-americano. O longa foi indicado para Melhor Roteiro Original no Oscar e Melhor Filme em Língua Estrangeira no Globo de Ouro.



América Central e Caribe: Todos Cambiamos (2019) Panamá


O filme retrata um pai de três filhos, chefe de família "perfeita" que vive na pacata cidade de Bambito, no Panamá, e que gosta de se vestir como mulher. Dirigido por por Arturo Montenegro, o longa foi selecionado como o filme panamenho para o Melhor Longa Metragem Internacional no Oscar de 2020.



Pelo Malo (2013) Venezuela


Escrito e dirigido pela cineasta Mariana Rondón, o filme aborda temas que vão desde adolescência e tensões entre pais e filhos até sexualidade e identidade de gênero. Ambientado na Venezuela, o longa lida com a obsessão de um garoto de nove anos por alisar o cabelo, e é um olhar sobre política de identidade na América Latina. Pelo Malo, em espanhol, significa "cabelo ruim".



*Felipe Viveiros, graduado em Relações Internacionais pela PUC-SP, tem extensão universitária em Comunicação Empresarial pela Universidade da Colúmbia Britânica (Canadá) e é mestre em Relações Internacionais e Organização Internacional pela Universidade de Groningen (Holanda).

DO RESTO DO MUNDO

cultura

  • Facebook
  • Instagram
  • Spotify

Copyright © 2020 Cultura do Resto do Mundo.

Todos Direitos Reservados. Arte do Site: Viviane Seeger.

  • Facebook
  • Instagram
  • Spotify